Cidney Carrasquel fala sobre sua trajetória para as aprovações

Como eu formei uma reserva financeira, decidi que não trabalharia por até dois anos. Após tomar consciência da realidade de um “concurseiro”, enxerguei que não havia estrutura para se estudar para um bom concurso na cidade em que eu morava. Tomei uma atitude arriscada e me mudei para Brasília, em dezembro de 2008, para me dedicar integralmente aos estudos. Nessa época elegi o Gran Cursos como minha referência e ponto de apoio. Todos os dias eu frequentava o Gran Cursos, a tal ponto de viver em Brasília há mais de um ano e não conhecer nada além da Octogonal (onde eu moro) e o SIG (Gran Cursos).

Meu nome é Cidney Carrasquel, tenho 41 anos, sou casado e tenho duas filhas pequenas. Minha esposa não trabalha e está estudando para concursos. Eu comecei a estudar para concursos em 2008, porém foi em 2007, quando trabalhava em uma empresa privada como Gerente Comercial, que decidi que iria dar uma nova direção a minha vida – eu seria um servidor público. Até esse momento eu só havia trabalhado em três empresas durante minha carreira profissional.

Nasci no Rio de Janeiro / RJ – onde me graduei em Engenharia Química na UFRJ – porém foi em São Paulo que iniciei minha vida profissional, em uma das maiores multinacionais químicas do mundo. Após 11 anos de trabalho, resolvi aceitar uma proposta de um cliente meu para gerenciar sua empresa no Rio Grande do Sul – RS. Já fazia cinco anos que eu morava no RS e estava trabalhando em outra empresa, porém não me encontrava feliz com minhas atribuições. Iniciei, então, os estudos para concurso público em julho de 2008 em Caxias do Sul – RS, quando saí da empresa em que trabalhava.

Como eu formei uma reserva financeira, decidi que não trabalharia por até dois anos. Após tomar consciência da realidade de um “concurseiro”, enxerguei que não havia estrutura para se estudar para um bom concurso na cidade em que eu morava. Tomei uma atitude arriscada e me mudei para Brasília, em dezembro de 2008, para me dedicar integralmente aos estudos. Nessa época elegi o Gran Cursos como minha referência e ponto de apoio.  Todos os dias eu frequentava o Gran Cursos, a tal ponto de viver em Brasília há mais de um ano e não conhecer nada além da Octogonal (onde eu moro) e o SIG (Gran Cursos).

Quando falo da “realidade de um concurseiro”, refiro-me ao alto nível de competição e consequentemente à necessidade de estudar muito, abdicando, inclusive, do convívio familiar.

Eu digo que o maior inimigo de um concurseiro é ele próprio, pois diversos fatores externos e internos irão testar nossa disciplina e perseverança. Os familiares e amigos, na maioria das vezes pensando no nosso bem – na visão deles – vão pedir nossa atenção e reclamar de nossa ausência. A falta de recursos, ou a sensação do dinheiro estar acabando nos abalará emocionalmente. E depois existirá o cansaço físico, as dores nas costas, as dores de cabeça, o sono etc. Por isso afirmo: para passar devemos ter disciplina, perseverança e planejamento. E é claro, estudar muito.

No momento não pretendo mais prestar concurso público, apesar de recentemente ter feito a prova objetiva de APO/MPOG e de ter me saído muito bem. Quero agora me preparar para ser um professor de cursinhos preparatórios – de AFO.

RESULTADO: Após passar o ano de 2009 estudando, periodicamente, das 8h às 20h, sete dias por semana (sábado e domingo até as 18h, pois a biblioteca fecha nesse horário), no Gran Cursos, passei nos seguintes concursos:

1.    SERPRO     – Analista de Gestão Empresarial – 2º lugar
2.    ANTAQ    -Analista Administrativo – 23º  lugar
3.    TCM / GO    -Analista de Controle Externo – 17º lugar
4.    ANAC    -Analista Administrativo – 162º lugar
5.    APO / DF – Analista de Planejamento e Orçamento – 24º lugar
6.    CI / DF – Auditor de Controle Interno – 13º lugar

SITUAÇÃO ATUAL: nomeado em 26/02/2010  para Auditor de Controle Interno do DF – Posse e entrada em exercício em 23/03/2010

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *