Ex-aluna do Gran aprovada no concurso da Caixa. Faculdade dos concursos fez a diferença!

“Quando vi o resultado oficial, não só havia passado, mas fui a 17ª colocada. Foi muito gratificante saber que já seria concursada aos 18 anos e ainda sido classificada nessa colocação e ver que valeu a pena todos os sacrifícios. Não posso deixar de agradecer a todos os professores que fizeram parte dessa caminhada e principalmente ao apoio, incentivo e motivação da minha família que sempre me deu forças nos momentos de fraqueza. Tenho certeza que esse foi apenas um primeiro passo e continuarei estudando. Já é rotina, criei gosto e aprendi a fazer com que todo esse estudo não seja algo cansativo, mas sim a parte mais importante do meu dia, aquela que abrirá portas para um futuro de sucesso”

Com apenas 18 anos, Bruna D’armada Azevedo já é uma vitoriosa. A jovem foi aprovada em 17ª lugar no concurso da Caixa Econômica Federal (CEF). “Desde muito nova minha mãe me incentivou a fazer concursos públicos, pois seria o melhor caminho para o sucesso e a estabilidade financeira. Acabei colocando isso na cabeça como única verdade, não importava o curso de nível superior que eu faria, sabia que queria ser servidora pública”, destaca.

“Foi assim que, acabando o segundo ano do ensino médio, me dei conta que deveria começar logo a estudar e, nas férias, fui à procura de cursinhos para isso. Entrei no Gran Cursos assim que fiz 17 anos, antes mesmo de começar o terceiro ano, e fiz a Faculdade dos concursos, concomitantemente, ao meu último ano do ensino médio. Recebi diversas críticas, boas e ruins, dos meus colegas e professores. Muitos diziam que antes deveria me preocupar com a universidade. No entanto, já havia traçado o serviço público como grande objetivo e deixei de lado as opiniões que não seriam úteis”.

Dificuldades

“2013 foi um ano intenso, pois chegava cedo na escola, e só voltava para casa depois da aula, à noite, no Gran Cursos. Saí totalmente da minha zona de conforto e passei a ver bem menos minha família. Ainda tive que terminar o curso de inglês e arrumar um jeito de estudar para o vestibular. Foi uma grande confusão na minha cabeça, pois várias foram as vezes em que me perdi e não sabia em que focar”.

Faculdade dos Concursos

Segundo a concurseira, a Faculdade dos Concursos fez toda a diferença em sua vida. “Ela me mostrou aquilo de essencial e básico para concursos e, graças a ela, tenho gabaritado todas as provas de português. Eu não fazia ideia do que era concurso público e, durante as aulas de conhecimentos específicos, como direito, muitas vezes pareciam falar grego. Tive que abrir a mente para coisas que nunca havia estudado e, devido ao fato da Faculdade dos Concursos ser um curso profundo e a longo prazo, consegui me adequar à realidade de “concursando”, comenta.

Objetivo

“Terminada a Faculdade dos Concursos, já conseguia ver tudo isso com outros olhos. Assim, no fim do ano, procurei outro cursinho para fazer e me matriculei na turma para o Banco do Brasil. Bancos nunca foi meu objetivo, mas passei a os ver como um primeiro passo. Durante todos os dias de minhas férias me dediquei para essa prova como nunca antes e, sem sombra de dúvidas, o mais importante foi fazer exercícios”, afirma Bruna.

“Fui fazer a prova tranquila, sabia que havia estudado e sabia que ficar nervosa não ajudaria. O controle emocional com certeza foi de extrema importância não só na hora da prova, mas também no dia a dia de estudo. No entanto, não consegui ser aprovada no número de vagas. Fiquei muito decepcionada, mas sabia que não devia me preocupar com isso. Pensei apenas em qual seria o próximo alvo e, como já estava “no clima” de banco, decidi estudar para a CEF”.

Preparação

“Participei de todos os aulões e revisões para a CEF, fiz muitos exercícios e o que acho que mais ajudou foi o Gran Dicas. Já temia o fato da banca examinadora ser o Cespe. Essa história de um item errado anular um item certo já me desanimava desde o ensino médio. Já estava sem esperanças de ser aprovada, mas, quando saíram as notas, fui procurar saber como fui. Estava 30 pontos acima da maioria das pessoas então pensei inocentemente ter ainda uma pequena chance de passar”.

Resultado

“Quando vi o resultado oficial, não só havia passado, mas fui a 17ª colocada. Foi muito gratificante saber que já seria concursada aos 18 anos e ainda sido classificada nessa colocação e ver que valeu a pena todos os sacrifícios. Não posso deixar de agradecer a todos os professores que fizeram parte dessa caminhada e principalmente ao apoio, incentivo e motivação da minha família que sempre me deu forças nos momentos de fraqueza. Tenho certeza que esse foi apenas um primeiro passo e continuarei estudando. Já é rotina, criei gosto e aprendi a fazer com que todo esse estudo não seja algo cansativo, mas sim a parte mais importante do meu dia, aquela que abrirá portas para um futuro de sucesso”, finaliza.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *